Aula PÁSCOA AMARGA E DOCE

easter-jesus-gives-bread-and-grapes.jpg

TEMA: PÁSCOA

FAIXA ETÁRIA: 2 a 11 anos

LIÇÃO: Páscoa para crianças, de Moisés a Jesus.

TÍTULO: Páscoa amarga e doce

TEXTO BÍBLICO: O contexto da história dos hebreus que culmina com a Páscoa judaica está narrada no livro do Êxodo, nos capítulos de 1 ao 12.

VERSÍCULO CHAVE: Quem for aprovado, receberá a coroa da vida que Deus prometeu aos que o amam. Tg 1.12

INTRODUÇÃO

A Páscoa é uma data celebrada por cristãos e não cristãos, e hoje está muito arraigado no coração das crianças que a Páscoa de fato é representada pelo coelho e ovos de chocolate.

É interessante para o professor de escola bíblica saber a origem desses símbolos da Páscoa, mas o fundamental é ensinar o conceito real dessa celebração, e não pelo marketing que se criou em torno dela.

OBJETIVOS

Ao apresentar a lição da Páscoa para as crianças, é necessário ter em mente três pontos fundamentais:

- Qual a origem da Páscoa

- O que a Páscoa representa para o cristão

- Quais os elementos da Páscoa cristã

A partir desses princípios, o professor pode desenvolver a sua aula com a tranquilidade de que estará alicerçando no coração dos seus alunos a mensagem da salvação em Cristo Jesus.

LIÇÃO

1.jpg

O QUE É A PÁSCOA?

Atraia a atenção dos alunos para o assunto, mostrando o primeiro visual do Ovo, sem nenhum visual.

Faça perguntas: O que esta imagem representa? Como vocês comemoram a Páscoa? Quais os símbolos da Páscoa que vocês conhecem?

Por fim, questione: Vocês sabem como começou a Páscoa?

2.jpg

UM LIBERTADOR

Conte para as crianças o resumo da história dos hebreus, que viviam no Egito como criadores de gado, mas com o tempo foram escravizados, porque o rei do Egito tinha medo que o povo hebreu crescesse muito e se juntasse aos inimigos do faraó. O povo hebreu sofria muito, fabricando tijolos, carreando pedras e fazendo todo o trabalho do campo. Os servos de faraó eram muito cruéis com os hebreus (Ex 1.8-14).

Nota: Nunca relacione a construção das pirâmides aos escravos hebreus. As pirâmides já haviam sido construídas antes.

Os hebreus clamaram a Deus para que Ele os livrasse daquela condição, e o Senhor enviou um libertador, um homem chamado Moisés (Ex 3.9-10). (relembre rapidamente a história de Moisés bebê, deixado no Rio Nilo).

Moisés foi orientado por Deus sobre como deveria falar com o faraó, para que deixasse o povo hebreu sair do Egito para adorá-lo, mas o coração de faraó era duro, e com raiva fez com que os hebreus sofressem mais! Para mostrar ao faraó o Seu poder, Deus enviou sobre o Egito várias pragas (Ex 5.1-3).

Depois de nove pragas, Deus falou que traria um mal tão grande sobre o Egito, que o faraó não teria como impedir a saída do povo. Seria a morte dos primogênitos egípcios (Ex 11.4-7).

Pergunte se as crianças sabem o que é primogênito e explique que é o filho que nasce primeiro, o mais velho.

UM CORDEIRO PARA O SACRIFÍCIO

Mas para que isso acontecesse e nenhum hebreu morresse, eles tinham que estar preparados, e receberam orientação de Deus para não comerem fermento durante sete dias. No sétimo dia teriam que matar um cordeiro ou cabrito de um ano, sem defeito e sem manchas.

SANGUE NOS UMBRAIS DAS PORTAS

Esse animal devia ser assado inteiro no fogo e o sangue dele tinha que ser passado nos umbrais (batentes) das portas, para que, quando o anjo da morte passasse (pasash, páscoa) e visse o sangue, soubesse que ali deveria passar por cima sem matar o primogênito (Ex 12.21-24).

ERVAS AMARGAS

O cordeiro assado deveria ser comido com ervas amargas, para lembrar o sofrimento do povo no Egito, e com o pão sem fermento.

Na noite determinada por Deus, o anjo passou pelo Egito e trouxe a morte dos primogênitos, mas os hebreus não sofreram nada! Houve uma confusão tão grande entre os egípcios, que o faraó mandou que Moisés saísse logo com o seu povo da terra do Egito. Assim os hebreus foram libertos da escravidão do faraó (Ex 12.29-33).

Todos os anos os hebreus deveriam comemorar a Páscoa, para lembrar como sofreram no Egito, e como Deus ouviu as suas orações e os livrou da escravidão (Ex 13.4-10).

Nota: O fermento [hametz] é uma referência à contaminação pelo pecado: Lv 2.11; Mc 8.15; 1 Co 5.6-8

Quando Jesus veio ao mundo, logo foi apresentado por João Batista como o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo (Jo 1.29). João estava fazendo uma comparação do cordeiro morto na ocasião da Páscoa, quando o anjo da morte matou os primogênitos dos egípcios.

6.jpg

O Cordeiro de Deus: Jesus

Quando Jesus veio ao mundo, logo foi apresentado por João Batista como o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo (Jo 1.29). João estava fazendo uma comparação do cordeiro morto na ocasião da Páscoa, quando o anjo da morte matou os primogênitos dos egípcios.

Perto da Páscoa, Jesus juntou os seus discípulos para comemorarem a Páscoa, como era de costume. Mas junto com os discípulos, Jesus trouxe um novo motivo para aquela celebração, a partir daquele momento, deveriam se lembrar do corpo (pão) e do sangue (vinho) de Cristo (Lc 22.7-20).

O pão representa o sofrimento de Jesus, ao ser chicoteado, a coroa de espinhos, a morte na cruz. O vinho representa o sangue derramado, que limpa o homem do pecado.

7.jpg

O sacrifício

Depois daquela celebração, Jesus foi preso e injustamente condenado à morte na cruz. Ele foi crucificado entre dois ladrões, mas ele não tinha pecado, pois não tinha cometido nenhum erro. Isso foi necessário para que o sangue trouxesse perdão dos pecados da humanidade, por isso João Batista falou que Jesus era o Cordeiro, lembra? Mesmo sendo inocente, deu a sua vida para salvar a todos, como aquele cordeirinho lá no Egito.

8.jpg

Jesus voltou a viver

Jesus não ficou morto, pois se Ele tivesse apenas morrido, seria um grande herói, mas só isso! Ele ressuscitou no terceiro dia, provando que tudo que estava escrito sobre ele era verdade e tinha se cumprido (Lc 22.44-48).

O salário do pecado é a morte, mas Jesus conseguiu vencer a morte, e prometeu que, aquele que o confessa como salvador e Senhor da sua vida terá a vida eterna (1 Co 20-25).

Para reinarmos com Jesus ao lado de Deus e termos a vida eterna, precisamos reconhecer que Jesus deu a sua vida por amor a nós, e confessar que somos pecadores. Somente o sangue de Jesus tem o poder de nos livrar da morte eterna. Não é o coelho, muito menos os ovos de  chocolate. Assim, vamos celebrar a Páscoa que é Cristo, o nosso Senhor!